26/09/2016

  • // Por: Carlos Wizard Martins

Compartilhe:

Imprimir:

Seguir em frente é a única opção


Assumir riscos faz parte do negócio, mas eles precisam ser calculados e planejados
Assumir riscos faz parte do negócio, mas eles precisam ser calculados e planejados

Depois de meses de incertezas políticas e econômicas, o Brasil virou a página de um capítulo importante da sua história com a final do impeachment. As instituições financeiras sinalizam otimismo em relação ao futuro do País, afirmando que a partir da definição do novo governo, e na expectativa do ajuste fiscal e das reformas estruturais, o Brasil passa a ter seu caminho definido de forma mais clara e efetiva.

É o que todos desejamos e o que todos devemos buscar. Não devemos ficar apenas esperando que os outros resolvam assuntos que são do nosso interesse, enquanto cruzamos os braços e assistimos sentados na plateia. 

Se este é um momento da retomada do crescimento do ponto de vista econômico, é também o momento da retomada dos projetos pessoais, profissionais e da retomada da confiança. É o momento de voltar para o caminho de onde se parou e seguir em frente.

Muitas pessoas, com medo do imprevisível, ficaram à beira da estrada aguardando que alguma coisa acontecesse, enquanto seus projetos estavam paralisados. Afinal, muitas pessoas acreditam que a melhor forma de não ter decepções é não se arriscar. É um pensamento comum a muitos empreendedores, e que pode até fazer sentido de certa maneira, mas que não combina com empreendedores que ousam buscar o sucesso.

Empreender é assumir riscos e encontrar oportunidades mesmo quando o sinal está amarelo. Mesmo quando quase tudo diz que não, há diversas formas de inovar frente às incertezas: qualificar mão-de-obra, capacitar funcionários, trabalhar a fidelização e a satisfação de seus clientes. A junção de pequenas atitudes é capaz de nos manter no controle da situação.

Na década de1980 o sinal estava amarelo para mim: era uma época de muitas incertezas, inflação nas alturas, troca constante de moedas e ministros. Íamos dormir com os produtos custando um preço, acordávamos com os mesmos produtos custando o dobro. E apesar de toda a turbulência resolvi que aquele era o momento certo para empreender, encarando o governo Fernando Collor de Mello e o seu confisco.

Arrisquei, fui em frente. Em 1994, quando veio o Plano Real e a estabilização da moeda, a Wizard já contava com uma rede de 200 unidades espalhadas pelo Brasil, tínhamos a plataforma instalada e pudemos colher os frutos das sementes que plantamos outrora. Apesar da turbulência econômica e política nos últimos anos não fiquei parado. A rede Mundo Verde saltou de 250 para 400 pontos em todo o Brasil. Recentemente inauguramos as primeira lojas Taco Bell no Brasil com plano de abrir 100 lojas até o ano 2020. Se hoje eu puder dar um conselho a um jovem empreendedor, diria que agora é hora de lançar seu projeto, arriscar-se, seguir em frente. Essa é a única opção para quem deseja um futuro brilhante, promissor e próspero.


Avalie esta notícia:  starstarstarstarstar

Compartilhe:

Imprimir:

Deixe um comentário

(O comentário não pode exceder 500 caracteres)

Carlos Wizard Martins
Carlos Wizard Martins é presidente da Mundo Verde, maior rede de lojas de produtos naturais, orgânicos e de bem-estar da América Latina. Fundou a escola de idiomas Wizard que se transformaria no grupo Multi Educação, vendido para o grupo britânico Pearson Education, em 2013. É autor do livro “Desperte um Milionário em Você” que já vendeu mais de 100 mil exemplares. Sua biografia “Sonhos Não Tem Limites” figurou na lista dos 10 livros mais vendidos do ano na categoria “Não-Ficção”