08/11/2016

  • // Por: Cláudio Gradilone

Compartilhe:

Imprimir:

Hillary, Trump e o seu dinheiro

Como o resultado da eleição americana pode afetar os investimentos


Disputa acirrada entre Hillary Clinton e Donald Trump 
Disputa acirrada entre Hillary Clinton e Donald Trump  ( foto: AFP/ Michael B. Thomas)

À medida que a terça-feira (8) chega ao fim, começa a lenta (posto que manual) contagem dos votos nos Estados Unidos que resolverá a disputa entre Donald Trump e Hillary Clinton. E a conclusão desse longo e tumultuado processo deve ser vista pelos investidores com cautela e, eventualmente, como uma oportunidade.

Os mercados mundiais temem a eleição de Trump, visto como imprevisível e danoso para os mercados. "Os investidores gostam de estabilidade", diz Roberto Indech, analista da corretora Rico. "Trump não apresenta uma perspectiva clara para a política monetária americana, e mesmo suas declarações sobre a política fiscal não são consistentes", diz ele. Já Hillary é vista como mais do mesmo. Não é um cenário brilhante, mas é muito melhor do que a imprevisibilidade de Trump.

Qual o impacto sobre o mercado brasileiro? A vitória de Hillary já está bastante precificada pela bolsa e pelo dólar, e é provável que a confirmação da noticia provoque uma realização de lucros de curto prazo das ações, mas o cenário é positivo. A recomendação se Indech é dar preferência a empresas exportadoras de commodities, que serão beneficiadas pelo comércio global.

Uma inesperada vitória de Trump dispararia um movimento global de aversão ao risco, o que exerceria uma pressão de baixa sobre os países emergentes, Brasil entre eles. Assim, seria um momento de forte queda das ações e alta do dólar. A recomendação de Indech, nesse caso, é apostar em empresas fortemente exportadoras, como Fibria e Suzano, que têm receitas em dólar e custos em reais. 

Há poucos motivos para preocupação, pois as pesquisas indicam a provável vitória de Hillary. Porém, na quinta-feira, dia 23 de junho, as pesquisas também davam como certa uma derrota do BrExit, a saída do Reino Unido da União Europeia, e não foi o que ocorreu, levando os mercados ao pânico. 

Assim, é bom recordar a frase do experiente político mineiro Benedito Valadares, o famoso Governador Valadares: "eleição é como mineração; conversamos só depois da apuração."


Avalie esta notícia:  starstarstarstarstar

Compartilhe:

Imprimir:

Deixe um comentário

(O comentário não pode exceder 500 caracteres)

Claudio Gradilone
Cláudio Gradilone é editor de Finanças da DINHEIRO desde 2010. Escreve sobre investimentos há cinco moedas e há oito planos econômicos.